Uncategorized

agora é pessoal!!

Lula disse: “Os que criticam Bolsa Família não criticam a bolsa de US$ 2 mil da Capes”

Este é o típico raciocínio Mínimo Quadrado Ordinário > Linear, ou seja, não é custo meu filho, é investimento. A Bolsa família é investimento na base eleitoral, a bolsa Capes…

Fábio

p.s: ok eu confesso, “ganhei” 1.100 euros da Capes por 4 meses em Lisboa. Desculpe contribuinte, infelizmente só posso retribuir este custo (e não investimento) daqui 1,5 anos quando terminar minha tese de doutorado.

Continue lendo “agora é pessoal!!”

Uncategorized

ainda a pesca da baleia

A pesca foi muito bem em Santa Catarina durante o século XVIII mas no XIX nem tanto. O Barão Georg Heinrich von Langsdorff, de passagem por Florianópolis em 1803, sugere:

“É possível que a causa principal da diminuição da pesca à baleia se desse, pelo fato de ela ter passado das mãos de particulares para as mãos do governo. Sabe-se que indivíduos do comércio tratam muito bem de tirar seus lucros e, com a indiferença existente em instituições, onde, infelizmente, há diretores bem remunerados e que se esforçam apenas pelo seu pagamento particular, ao invés de procurarem as vantagens para o governo.” Fonte Grifo meu.

Conclusões:
1. História Econômica é muito legal!
2. Instituições diferentes… grande “sacada” do Barão eheheh
3. Path dependence?

Fábio

p.s: Este final de semana vou encarar o gélido litoral gaúcho e surfar junto com as baleias que migram para Santa Catarina até setembro.

Continue lendo “ainda a pesca da baleia”

Uncategorized

A surpreendente blogosfera

O Mungowitz é um economista. Ok. Agora, quem diria que eu iria começar a ler sobre jogadores de futebol brasileiros no seu blog? Ninguém!

There’s a new Republican candidate…….

……. and his name is Judge Manoel Maximiano Junqueira Filho!

A Brazilian footballer improbably named “Richarlyson” — whose father played professionally and whose brother played in Portugal and is now with Brazil’s Cruzeiro — filed a criminal complaint for slander against Palmeiras club director Jose Cyrillo Junior for insinuating that he (Richarlyson) was gay.

Judge Filho stoked the dispute by dismissing Richarlyson’s claim and issuing a ruling that suggested he leave the game if he were gay. If he weren’t, the judge said, Richarlyson was obliged to defend himself on the same TV program.

“Not that a homosexual can’t play soccer,” Filho wrote. “He can, but he must form his own team and federation, setting up matches with those who want to play against him.”

The judge concluded it is not “reasonable to accept homosexuals in Brazilian soccer because it would hurt the uniformity present” in team sport. Soccer, the judge said, is a “virile game” but “not homosexual,” and allowing gays could lead to affirmative action for the sport requiring quotas of gays.

The ruling prompted the government body that oversees judicial ethics in Brazil to demand an explanation from the judge, who has until Friday to respond.
This guy would have KILLED at the Iowa Straw Poll!

Claudio

Continue lendo “A surpreendente blogosfera”

ciclos econômicos

O bom e velho ciclo de estoques

Nos idos anos 90, eu, um apavorado estudante de mestrado, conheci, pela matéria do prof. Pastore (Affonso Celso, diga-se bem), o tal ciclo de estoques de Metzler. Embora fosse matéria de graduação, muitos dos meus professores não haviam me apresentado ao dito ciclo.

De qualquer forma, eu gosto sempre de lembrar este momento da minha vida. Ele me faz pensar que teorias e fatos podem ter uma relação interessante, principalmente quando se fala de “descompasso” entre produção e consumo.

Estimar o ciclo de estoques pode estar meio fora de moda, se você pensa no modelo do livro-texto (acho que há um exemplo simples no manual de Sachs & Larrain). Mas experimente uma busca pela literatura atual e você encontrará um bocado de novas especificações para estes ciclos.

Enfim, vida longa ao ciclo de estoques de Metzler.

Claudio

Continue lendo “O bom e velho ciclo de estoques”

Uncategorized

Cara de pau

Os intelectuais brasileiros ainda estão em seu gostoso e safado silêncio? Nem com isto acordam? Ah sim, note como a esquerda norte-americana não se distingüe muito de sua prima brasileira, venezuelana, argentina, cubana, etc.

Enquanto isto, aqui, a esquerda anaeróbica vê em Reinaldo Azevedo uma ameaça maior que Osama Bin Laden e crê que há um golpe de estado iminente por conta de uma ou duas passeatas.

Claudio
p.s. o fato do Reinaldo Azevedo falar bobagens não o torna mais perigoso do que um Chávez, embora alguns blogueiros torçam a lógica para que isto seja um argumento. (Não, Alex, não falo de você).

Continue lendo “Cara de pau”

Uncategorized

O que faz um terrorista?

Tyler Cowen comenta o novo livro do economista Alan Krueger sobre o tema.

Ok, eu não sou o selva, mas posso quase ler as palavras que ele escreveria aqui: “um problema tão importante no mundo de hoje, e os economistas da selva nada falam sobre o tema”.

O pior de tudo é que ele está certo. Minha sensação é que economistas brasileiros olham muito para o próprio umbigo. Sofrem do mal que criticam em outros cientistas sociais que é esta estranha noção de que o “Brasil é um país único, peculiar, em todo o universo, logo, merece mais estudos do que o resto da criação”.

Isto mudou, de uns tempos para cá, graças à globalização. Mas ainda há muito paroquialismo entre meus colegas. Vá lá, é legítimo se preocupar com problemas no quintal mas, estatisticamente, é pouco provável que 100% dos economistas da selva se preocupem apenas com isto.

Ok, ok. O problema são os incentivos. Agora, vem cá, quando um ex-estagiário te diz que um professor dele, de uma grande universidade pública brasileira, disse, em sala de aula, que “Freakonomics é um livro de auto-ajuda, não de economia”, o que você esperaria? (O melhor é que o gajo provavelmente jamais terá a coragem de assumir que disse isto em público, digo, se a platéia se localizar na OCDE, não na selva bolivariana).

É verdade, leitor. O Brasil é cheio de acadêmicos que, sim, sim, mil vezes sim, respondem a incentivos e, atualmente, a tônica é dizer que incentivos políticos são mais importantes que os de mercado. Precisa dizer mais ou quer que faça um desenho?

Claudio

Continue lendo “O que faz um terrorista?”