Uncategorized

O povo não gosta de certos crimes (embora não se importe com outros)

Moradores de Pedralva, no sul de Minas, incendiaram na noite de segunda-feira, 30, a casa de Dário Ademar Machado, de 40 anos, preso em flagrante pelo seqüestro de uma menina de 10 anos. A garota, que morava em frente ao seqüestrador, foi encontrada no final da noite de domingo, amarrada e amordaçada em um buraco – uma espécie de alçapão -, localizado embaixo da cama da residência. Ela estava desaparecida desde a tarde da última quinta-feira, quando saiu para comprar salgadinhos e não mais voltou. O seqüestro revoltou a população local, que já havia apedrejado a casa. Conforme a Polícia Militar, no momento do incêndio o imóvel estava vazio e ninguém ficou ferido.

Claudio

Continue lendo “O povo não gosta de certos crimes (embora não se importe com outros)”

Uncategorized

Finalmente, os contra-revolucionários

Os apologetas do regime pinochetista de Cuba, alguns deles famosos na imprensa nacional, ficarão felizes: finalmente temos provas de que os contra-revolucionários existem e são, sim, perigosos para o regime de Fidel Castro.

Aqui, finalmente, as evidências irrefutáveis.

Claudio
p.s. queria ver se estes “intelectuais” já compraram suas casinhas em Cuba. Mas casinhas iguais às do povo que eu vi no video. “Dachas” soviéticas não contam.

Continue lendo “Finalmente, os contra-revolucionários”

Uncategorized

Primeiro de Maio: o dia em que perdemos tudo

Alex Castro bem que poderia me bater por este plágio bem-humorado. Mas o assunto é outro. Estamos falando dos não-liberais que sempre prometem nos libertar dos grilhões que nos prendem a alguma coisa (sejam eles reais ou não, como diria Baudrillard, o espertinho), embora façam tudo ao contrário.

Pelo menos é feriado. Tal como o Dia dos Finados.

Claudio

Continue lendo “Primeiro de Maio: o dia em que perdemos tudo”

Uncategorized

Onde está a “Delegacia do Homem”?

Uma dona de casa moradora da cidade-satélite do Guará, cerca de 15 quilômetros de Brasília, manteve por quase três horas como reféns o marido e dois filhos. Além de esfaquear um policial militar e se ferir no rosto e no seio, Ana Guimarães Amaral, de 37 anos, ameaçou cortar a mangueira de gás do fogão para colocar fogo no apartamento. Os reféns foram resgatados em segurança pela Polícia Militar depois de uma hora e meia de negociações. A dona de casa foi presa.

Como diria o xará, isto deve ser culpa de nossa sociedade que fabrica Rambos e na qual se pode comprar armas com muita facilidade.

Claudio

Continue lendo “Onde está a “Delegacia do Homem”?”

Uncategorized

Política Industrial, né? Vejamos

Política industrial, modelo Made in Japan:

Why would policymakers consistently intervene in ways that did not apparently enhance welfare? One possible answer is that the informational requirements for successful industrial policy interventions is not trivial, and that policymakers simply did not get the interventions right. Another, and possibly more persuasive explanation, is that these interventions were not undertaken by politically-insulated technocrats, but rather the actual pattern of interventions observed were largely determined by political competition among various self-interested groups. So, for example, it is striking to observe that in the case of Japan, where the cross-sectoral flows of publicly-directed resources are relatively easy to track, that for a period of decades more than 90 percent of on-budget subsidies went to the declining agricultural and mining sectors – not the emergent high technology sectors of popular lore (Figure 2). Indeed, it appears that during the heyday of Japanese industrial policy impact of public policy was on net a tax on industrial output – not a subsidy.

Clique no trecho acima para ver a figura 2. O trecho original está no Matizes Escondidos.

Claudio

Continue lendo “Política Industrial, né? Vejamos”

Uncategorized

Então tá, tia

É uma pena que a edição digital do jornal O Globo não permita que se copie ou mesmo que se coloque um link direto para suas matérias. Caso isso fosse possível, eu lincaria neste post a coluna de hoje da jornalista Míriam Leitão. Ela é um exemplo perfeito de como funciona a cabecinha de muita gente que trabalha na imprensa.

Resumo da história: madame Leitão era a favor do veto de Lulla à Emenda 3, até que… descobriu que esse veto vai permitir ao governo aumentar os impostos cobrados de jornalistas que atuam como prestadores de serviço – ou seja, dela própria!

Conseqüência imediata: em sua coluna de hoje (que está ótima, por sinal), madame Leitão baixa o sarrafo no veto de Lulla à emenda 3. Isso é que é análise econômica altamente técnica, desinteressada e imparcial…

Descobri graças ao meu xará.

Não é incrível como o jornalismo econômico é bizarro neste país?

Claudio

Continue lendo “Então tá, tia”

Uncategorized

Aguardando opiniões

Vou aguardar nossos especialistas se manifestarem sobre este episódio:

(Via De Gustibus…)

PORTO ALEGRE – Seis rapazes, todos com idades entre 15 e 19 anos, foram baleados por atiradores que passaram dentro de dois carros em alta velocidade numa rua movimentada de Gravataí, na região metropolitana de Porto Alegre, ao amanhecer desta segunda-feira, 30.

Seria interessante eles esclarecerem para esse pobre diabo ignorante:

1) Como isso pode acontecer numa sociedade tão pacífica como a nossa? Se fosse naquela sociedade lá de riba que cultua a violência e fabrica Rambos, tudo bem. Mas aqui eu não compreendo!

2) Como isso pode acontecer numa sociedade avançada como a nossa que mantém rígido controle sobre a venda de armas de fogo? Se fosse lá naquela sociedade onde se pode comprar uma arma no Walmart e sair atirando a torto e a direito, eu entenderia. Mas aqui eu não compreendo!

Eu não teria perguntado melhor.

Claudio

Continue lendo “Aguardando opiniões”

Uncategorized

Para onde vai o dinheiro que sai do seu bolso?

Está pronta a medida provisória que vai legalizar as centrais sindicais e atender a uma das principais reivindicações de seus líderes: o acesso ao rateio do bolo do imposto sindical que, só no ano passado, arrecadou mais de R$ 1 bilhão. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva definiu que as centrais vão ficar com metade da fatia do imposto sindical destinada ao governo.

Ex-sindicalista, Lula pretendia anunciar a boa nova hoje, para marcar o Dia do Trabalho, mas as negociações emperraram na última hora e ele foi obrigado a adiar o envio da MP ao Congresso. Pelo rateio sugerido, metade do total de 20% que cabe ao governo na contribuição cobrada dos trabalhadores ficaria agora com as centrais.

O imposto sindical é compulsório e corresponde a um dia de serviço descontado do trabalhador, sindicalizado ou não, uma vez por ano, sempre no mês de março. Somente no ano passado, o Ministério do Trabalho contabilizou a entrada de exatos R$ 1.030.808,279,52 referentes ao imposto pago por trabalhadores urbanos. Do total arrecadado, 60% vão para os sindicatos, 15% para as federações, 5% para as confederações e 20% para o governo. Se a proposta já estivesse em vigor, as centrais abocanhariam hoje cerca de R$ 103 milhões.

Pergunto ao leitor: por que, simplesmente, não acabar com este imposto? Os sindicatos deveriam lutar, como qualquer firma privada, para obter filiações. Por que este presente para eles?

Claudio

Continue lendo “Para onde vai o dinheiro que sai do seu bolso?”

Uncategorized

Para mim pode, para ele não

Então eu leio:

No caso da música, muito se fala que artistas consagrados de grandes gravadoras não deveriam ser contemplados pela lei, o que eu concordo, mas é algo que se pode aprofundar a discussão a respeito dentro da classe artística. Essa nova proposta no Senado prevê que Igrejas e templos religiosos possam ser financiadas com recursos da lei. Ou seja, o possível patrocinador pode doar o dinheiro em troca de renúncia fiscal de parte de seu imposto de renda. As Igrejas estabelecidas no país já gozam de inúmeras renúncias fiscais, o que me leva a repudiar tal proposta veementemente como artista e também como cidadão. Todos sabem que milhares de Igrejas no país funcionam como lavagem de dinheiro, se aproveitando da fé do carente povo brasileiro, além de escândalos envolvendo padres, pastores, etc.

Primeiro: se a lei deve ter sua discussão aprofundada, façamos isto antes. Se a decisão for a de acabar com ela para artistas, o autor do trecho acima aceitaria? Pela coerência, sim.

Segundo: não vale esta de dizer que a Igreja não pode e artista pode porque a discussão não foi aprofundada.

Na minha opinião, a lei não faz sentido. Por que? Porque justamente aí é que surgem estas discussões estranhas. Os favorecidos acham que pode até ter um probleminha, mas isto precisa de uma discussão (que nunca ocorrerá porque: i. é difícil saber quem vai ser convidado, ii. onde, meu Deus, vamos reunir toda esta gente?) “mais ampla”, “democrática” e “profunda”. Como “cultura” pode incluir desde barroco mineiro até extintor de incêndio em museu, é claro que igrejas podem ter o mesmo direito que artistas.

Se igrejas são ou não entidades que promovem lavagem de dinheiro, como diz o autor do texto acima, não importa para a lei de incentivo. Artistas famosos também usam e abusam do dinheiro público sem apresentarem resultados (o Leo é quem lembra do nome do famoso sujeito do meio artístico que está exatamente nesta situação), o que eu chamaria perfeitamente de “lavagem de dinheiro”.

O pessoal que gosta de subsídios e reclama de desonestidade alheia precisa se lembrar melhor daquela cena clássica e seu significado: Ulisses amarrado e com cêra nos ouvidos.

Moral da história? Subsídios para ninguém.

Claudio

Continue lendo “Para mim pode, para ele não”

Uncategorized

O custo e o benefício de burlar a lei

Em operação batizada de Vaga Certa, a Polícia Federal (PF) prendeu sete acusados de participação em uma quadrilha que fraudava vestibulares para universidades públicas e privadas, principalmente no curso de Medicina. As irregularidades ocorriam também em processos de transferência entre instituições de ensino superior. A operação começou na noite de sexta-feira. Duas prisões aconteceram no Rio e cinco em Fortaleza. Entre os presos há duas estudantes de Medicina, um de Enfermagem e um de Direito.

Duas outras pessoas, contra as quais também há mandados de prisão preventiva, estavam foragidas até o início da noite desta segunda. Todos os nove foram denunciados pelo procurador da República Marcello Miller à 3ª Vara Federal Criminal do Rio por estelionato, falsificação de documentos públicos e formação de quadrilha.

O Ministério Público Federal (MPF)informou que o esquema funcionava desde 2004 e que em apenas 20 fraudes a quadrilha recebeu R$ 500 mil. O número total ainda é desconhecido, mas a PF informou já ter provas em 30 casos no último vestibular da Cesgranrio, a maioria na Universidade Gama Filho. A polícia tem os nomes do estudantes, os valores pagos e as contas em que o dinheiro foi depositado. Essas contas foram bloqueadas pela Justiça. Há casos conhecidos também na Universidade Federal Fluminense, na Federal de Pelotas e em instituições de Vassouras, Petrópolis, Mogi das Cruzes e Curitiba.

(…)

Detidas no Ceará, Aline Saraiva Martins, de 21 anos, e Mariza Bandeira de Araújo, de 28, são estudantes de Medicina da Universidade Federal do Ceará (Ufce). Elas usavam documentos falsos para fazer provas no lugar de pessoas que pagavam à quadrilha, informou a PF. O delegado disse que ambas eram capazes de passar nos vestibulares para diversas áreas. Elas eram chamadas de “pilotos” e receberiam, de acordo com a investigação, R$ 6 mil por cada aprovação obtida. O valor pago à quadrilha variava entre R$ 25 mil e R$ 70 mil. Também foram presos o estudante de Enfermagem da Ufce Pedro Hugo Bezerra Maia Filho, de 25 anos, e o estudante de Direito Francisco do Nascimento Moura Neto, de 24, da mesma instituição.

Eis o negócio. Com 20 fraudes, R$ 500 mil (o que dá R$ 25 mil por fraude). E, nos parágrafos finais, o esquema: R$ 6 mil por aprovação.

Seria mais simples se a pessoa pagasse para entrar na faculdade. Sair de lá, claro, seria um problema diferente, no qual fraude seria um crime. Liberando o pagamento pela entrada você tiraria o poder destes cartéis. Por que não se faz isto?

Claudio

Continue lendo “O custo e o benefício de burlar a lei”

Uncategorized

O socialismo no divã (menos o albanês)

Os chineses comemoram nesta terça-feira o Dia Internacional do Trabalho com viagens e compras, enquanto o Partido Comunista da China (PCCh), que governa o país desde 1949, procura uma nova definição de “trabalhador” que se adapte ao avanço do capitalismo.

(…)

Apesar da sua contribuição para o crescimento do país, este ano somente 20 operários figuraram entre os 1.024 premiados com medalhas entregues pelo Governo aos “trabalhadores modelo”. O prêmio, nos últimos anos, tem privilegiado empresários privados e figuras como o astro do basquete Yao Ming.

É uma das provas de que o Dia do Trabalho perdeu boa parte de suas conotações históricas na nova China. O PCCh procura redefinir o conceito de operário que implantou há 58 anos.

“Devemos cultivar uma nova geração de trabalhadores, orientados tecnicamente e bem pagos”, diz um editorial do “Diário do Povo”, porta-voz oficial do PCCh.

O artigo afirma que “a imagem do trabalhador está sofrendo uma drástica mudança” e que “cada vez mais, entre os jovens, ser um trabalhador significa um fracasso na vida”.

A preocupação do partido se justifica pelo resultado de enquetes recentes. No coração comercial e financeiro do país, Xangai, só uma em cada mil crianças quer ser operário quando crescer.

Até as crianças sabem que só intelectuais (inclusive brasileiros, radicados em Harvard ou não) gostam de pobreza.

Ok, piadinhas à parte, é interessante pensar no que está a acontecer na maior nação socialista da terra. Compare-se com o discurso de Fidel, Kim Jong Il, Chàvez e Morales e você verá que o bloco socialista é, na verdade, uma mistura heterogênea. Muito heterogênea.

Claudio

Continue lendo “O socialismo no divã (menos o albanês)”