Uncategorized

Não existe isto de “nunca antes na história deste país eu estudei tanto”

Você sempre pode fazer mais, como demonstra Thomas.

Ontem foi o dia da minha primeira prova no mestrado (desconsiderando o curso de verão). É incrível como a capacidade de estudo das pessoas se multiplica antes de uma prova de microeconomia. A primeira de quatro ao longo do semestre. As horas de sono foram poucas.

A quarta-feira só terminou mesmo na quinta de madrugada às 3 da manhã, quando saímos eu e o Fernando da casa de dois colegas mineiros, Bruno e Raphael. Após um banho, dormi às 4h e acordei às 7h para a monitoria. A prova só aconteceu às 16 horas, prolongando-se até às 19h. Nesse momento, saímos e fomos a um bar. Era necessário.

Basicamente, no quarto do curso, aprendemos a fundo a Teoria do Consumidor. Das duas abordagens da microeconomia, preferências e escolha, podemos derivar as mais diversas relações econômicas sobre o comportamento dos agentes, cujo objetivo final é determinar o comportamento da demanda. A abordagem da escolha e o axioma da preferência revelada, bastante marginalizado em livros de graduação, torna-se bastante importante. Recomendo aos que querem mestrado a não desconsiderarem o único capítulo dedicado a isso no Varian, até porque pode ser útil para a ANPEC mesmo. Homogeneidade, Lei de Walras e convexidade estão sempre bastante presentes. De forma geral, a microeconomia na pós-graduação é formalizada e não dispensa, se necessário, muitas ferramentas originadas da análise e do cálculo avançado.

Na prova de cinco questões, em três éramos requisitados a provar certos resultados. No outro, discorremos sobre preferências e escolha. Na única questão restante, era necessário reproduzir uma proposição do livro.

Nunca aprendi tanta microeconomia como no dia anterior à prova. Espero sinceramente ter ido bem. Em Economia Matemática, 8,6 não foi suficiente para obter o conceito A. Vejamos mais à frente.

Viu só, leitor(a)? Sempre o ser humano se supera. Na próxima, aposto, Thomas dormirá menos ou descobrirá que, agora, aprende mais por hora do que em toda sua vida na graduação. É isto que o povo chama de “o cara que se supera”. Alguns associam o sucesso obtido com o conceito de “herói”. Thomas é um herói.

Claudio

Um comentário em “Não existe isto de “nunca antes na história deste país eu estudei tanto”

  1. Opa, obrigado por ter considerado meu estudo como heroísmo, hehe. Acredito que não mereça tanto, mas continuaremos tentando.

    Agora tenho que estudar o Greene e o Romer. Deixar o Mas-Collel pra segunda.

    Abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s