Uncategorized

Cervejas (você já ouviu falar disto)

Após o Parecer da SDE recomendando sua condenação por fechar o mercado varejista aos concorrentes, a AmBev confirmou a compra da Cintra por US$ 140 milhões, conforme informou Guilherme Barros, da Folha. A AmBev não estaria interessada nas marcas da empresa adquirida, mas em expandir a produção para atender à demanda.

No Valor, em 15 de março, Daniela D’Ambrosio informava que:

O que está em jogo nesse negócio é o mercado carioca. Segundo dados Nielsen de fevereiro, a Cintra tem uma participação nacional de apenas 1,12%. Em janeiro último tinha 1,08% e em fevereiro de 2005, 1,26%. Mas na Grande Rio sua participação é de 5,9% e na área que abrange Espírito Santo, interior do Rio e Minas Gerais sua fatia é de 2,1%. Já na Grande São Paulo, a Cintra tem 0,14% e no interior paulista, 0,71%.

Considerando os mais de 65% de participação de mercado da AmBev, o acréscimo do HHI (índice de concentração) em decorrência da operação é certamente superior a 100, o que a torna preocupante, em princípio, para as autoridades de defesa da concorrência.

Claudio

Continue lendo “Cervejas (você já ouviu falar disto)”

Uncategorized

Foras-da-lei disputam lugar a tapa para ver presidente

Durante a solenidade de formatura de 4,7 mil guias cívicos que trabalharão nos Jogos Pan-Americanos, no estádio Mário Filho, o Maracanã, no Rio, que contou com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, houve tumulto e violência entre cinco mil jovens que moram em comunidades rivais na manhã desta quarta-feira, 11.

Pelo menos três adolescentes que moram na favela da Rocinha, a maior da América Latina, ficaram feridos depois da agressão de um grupo do Complexo do Alemão.

O confronto ocorreu antes, e também no momento em que as autoridades, entre elas o presidente Lula, discursavam em um palanque improvisado no estádio. Os jovens do Complexo do Alemão foram retirados do estádio. Por volta das 11h30, policiais militares estavam do lado de fora do Maracanã para evitar um novo conflito entre os grupos.

Claudio

Continue lendo “Foras-da-lei disputam lugar a tapa para ver presidente”

Uncategorized

É verdade, mas…

“Não, não, não, camelô não é ladrão! Camelô paga imposto!”

Vejamos:

1. Todo comerciante legal paga impostos ao adquirir as mercadorias, os camelôs, não.

2. Ambos pagam impostos outros quando adquirem pão, biscoito, refrigerante, etc.

Então, a pergunta é: por que os camelôs não pagam impostos ao adquirir as mercadorias?

Pode-se dizer que há comerciantes legais que tentam obter o mesmo privilégio, o que é explicado pela existência de impostos. Se não existissem impostos, nada de tentativa de burlar a lei. Claro, sem impostos, alguns serviços básicos não seriam oferecidos, o que nos deixa com uma opção: uma lei que trate todos os comerciantes por igual e que se faça respeitar.

Mas aí voltamos ao início do problema, certo?

Claudio

Continue lendo “É verdade, mas…”

Uncategorized

E o que diz a competição?

The current chairman of the international oil cartel, OPEC, further heightened gas consumer concerns Tuesday by saying natural gas prices might rise in the future.

The statement follows a forum of the world’s leading gas exporters in Doha Monday, which decided to set up a committee for coordinating gas prices. Experts saw the move as the first step toward an OPEC-style gas cartel.

“The time of cheap gas is a matter of the past,” Mohamed Bin Dhaen Al Hamli, also energy minister of the United Arab Emirates, told Qatar’s Ash-Sharq newspaper. “Gas prices are approaching oil prices, and are based on … market demand and supply.”

Você esperava que ele dissesse algo diferente disto?

Claudio

Continue lendo “E o que diz a competição?”