Uncategorized

Os bancos chineses vão quebrar?

Peek behind the Wizard of Oz’s (or Shanghai’s) curtain, and you’ll see that China’s double-digit percentage growth rates are an economic sleight of hand that have come at a price of escalating bad debt and non-performing loans. At the end of 2004, bank debt in China stood at $3.7 trillion — about twice the size of its GDP. That’s the highest proportion of any economy in the world. And that debt is lent almost entirely by state-owned banks — and over half of it by the Big Four. Today, Chinese state-owned enterprises [SOEs] owe banks over $2 trillion — about the size of the entire Chinese economy. And the amount of outstanding loans is growing by $500 billion each year.

None of this will shock any student of Communist economies. This is just the way financial institutions in “soft budget constraint” socialist economies work. That is the insight of Communist Eastern Europe’s only Nobel Prize caliber economist (and now Harvard professor), the Hungarian Janos Kornai. In socialist economies, cheap loans combined keep inefficient state-owned enterprise afloat. They also mean that a lot of goods are produced that shouldn’t be produced in the first place. Throw in China’s cheap labor and you see why the Chinese are selling Honda knock-off motorcycles at the price of their weight in scrap metal in Vietnam. This may lead to impressive rates of “top-line” economic growth in the medium term. But it also leads to the kind of massive misallocation of resources that eventually brought the Soviet Empire to its knees.

This makes the coming collapse of Chinese banks inevitable. And it won’t be the first time it will have happened. In the Asian crisis of 1997, two Guandong banks went belly up — exposing the massive non-performing loans given to the Chinese red chips floated in Hong Kong. Of course, investment bankers flogging shares of China’s state-owned banks will tell you “this time it’s different.” But ply them with drinks at a Hong Kong hotel bar and they’ll admit that much of the improvement in the balance sheets of China’s banks comes from re-classifying hundreds of billions’ worth of risky loans from “non-performing” to “special mention” — and not because of any genuine change in lending practices.

Será? Leia tudo.

Claudio
p.s. viu a “restrição orçamentária não-rígida” de que sempre falo aí, leitor(a)? E tem gente que diz não ter idéia do que fazer em monografia. Pode não gostar de certos temas, mas que eles não faltam, isto é fato.

Continue lendo “Os bancos chineses vão quebrar?”

Uncategorized

Enquanto você tampa o olho esquerdo…

…para mirar o direito no Bush (e tampa os ouvidos para não ouvir os noticiários sobre certos políticos que atazanam a vida dos brasileiros), o governo chinês faz a farra na África.

Quer se manifestar contra invasões e poder militar? Não se esqueça do Nepal.

Claudio
p.s. o mais engraçado é ler que já chamam as relações econômicas com a China de “neo-colonialismo” (só que, agora, os chineses é que “colonizam” a África…).

Continue lendo “Enquanto você tampa o olho esquerdo…”

Uncategorized

Libertários

Talvez apenas o Renato Drummond e outros poucos blogueiros entendam, realmente, o que é o libertarianismo. Aliás, Renato certamente apreciará este novo texto de Arnold Kling.

É aquela história: tem gente que acha que libertarianismo é sinônimo de sexo desenfreado. Isto é coisa de libertino, como diria o Alex Castro.

Divirta-se com o texto de Kling.

Claudio
p.s. Alex, ainda não comecei a ler o livro mas, de antemão, agradeço o presente.

Continue lendo “Libertários”

Uncategorized

Eu quero uma mãe de aluguel

Mulher grávida é sinônimo de solução ou problema no mercado de trabalho? Pelo visto, se o governo não criar restrições à atividade, trata-se de uma solução.

Em Pequim, um agenciador contou ao jornal, sem revelar seu nome, que a cada mês procura “mulheres saudáveis” para mais de 30 casais, e a metade dos casos acaba em gravidez.

“Estou satisfeito com o dinheiro, mas estou mais satisfeito com a gratidão dos casais quando têm seus filhos”, disse.

A maioria dos clientes procede da “elite da sociedade”, acrescentou o agenciador. Ele ressaltou que “ajudou” também 10 casais formados por chineses e estrangeiras, em mais de dois anos.

O custo total do serviço é de US$ 25.500. Mas o preço pode aumentar “se a mãe tem boa educação e boa aparência”. Uma universitária pode conseguir, só com a comissão e sem contar as despesas da gravidez, mais de US$ 6 mil ao “alugar” o útero.

Bem, talvez eu alugue uma Sally Yeh para mim. 🙂

Claudio

Continue lendo “Eu quero uma mãe de aluguel”

Uncategorized

Tudo por R$ 1,99

Uma das perguntas mais interessantes de economia: por que esta “mania” de cobrar R$ 1,99″?

Para Shy, isto é porque…bem, leia o trecho seguinte.

I suggest a strategic explanation for why so many products and services are priced to end in ninety nine! I demonstrate that when the transportation cost (value of time,or differentiation-distaste) parameter exceeds $1, and if firms must commit to the dollar component of their price prior to setting the cent component, then all brand-producing firms set profit-maximizing prices that end in 99/c.

Esta pergunta sempre volta aos blogs de economia. Palpites?

Claudio

Continue lendo “Tudo por R$ 1,99”

Uncategorized

Mercado aéreo em baixa: JAL

Ten money-losing routes will be phased out starting in the next few weeks. Daily flights between Kagoshima and Naha will be dropped, while seven weekly flights between Nagoya and Kitakyushu, between Kobe and Sendai, and between Nagoya and Nagasaki will be chopped. Four flights per week will be dropped between Fukuoka and Aomori. Flights on five routes will be reduced, including those between Fukuoka and Sendai, and Sapporo and Nagoya.

A JAL não vai bem das pernas. Menos aviões, maiores preços.

Claudio

Continue lendo “Mercado aéreo em baixa: JAL”

Uncategorized

O Bolivarianismo turco

Temendo por sua segurança, o vencedor do prêmio Nobel de Literatura, Orhan Pamuk, deixou a Turquia na última quinta-feira e foi para os Estados Unidos. Após enfrentar os ultranacionalistas no tribunal, o escritor teria saido do país por conta de ameaças, segundo o jornal argentino Clarín.

A imprensa local assegura que o escritor, que recebeu críticas em Istambul por reconhecer o Genocídio Armênio, saiu do país temendo ter o mesmo fim de Hrant Dink, jornalista turco-armênio que tocou neste mesmo tema e foi assassinado por um fanático nacionalista.

Claudio

Continue lendo “O Bolivarianismo turco”

Uncategorized

Tá bravo?

O prefeito Kassab perdeu a calma. Shame on him. E o Angelo da C.I.A. nos dá mais detalhes.

O manifestante, que se diz empresário do ramo de faixas de publicidade, é uma pessoa interessante. Será mesmo que tem uma empresa deste ramo? Sabe como é, eu andei fuçando pela Internet e descobri que este Senhor, de quem não tenho motivo nenhum para duvidar em termos de honestidade e integridade, já foi candidato e membro eleito de um Conselho Gestor do Parque “Rodrigo de Gasperi”, ali mesmo pela região de Pirituba. Conselho Gestor foi algo criado pela Prefeita Marta Suplicy para que a comunidade local gerisse os Parques. Eu não quero fazer com este cidadão o que Palocci fez com o caseiro. Mas, como ficaria a credibilidade da história dele de que estava por ali de passagem e de que não planejara previamente protestar contra o prefeito se, porventura, descobrissem que ele não tem empresa nenhuma ou mesmo que é filiado a algum partido político? Tá aí uma boa pauta para a imprensa.

Nada como um blogueiro esperto.

Claudio

Continue lendo “Tá bravo?”

Uncategorized

Quer ganhar uma grana?

COLLEGE STUDENTS & PROFESSORS: WIN $$$ WRITING ABOUT FOREIGN AID

The deadline for the 2007 Olive W. Garvey Competition is only three months away. No essays submissions will be accepted after May 1, 2007.

Here’s the topic for this year’s essay submissions:

“Is foreign aid the solution to global poverty?”

A 2005 United Nations report called for a doubling of foreign aid to poor countries as the means to reduce poverty. Yet the 2006 Nobel Peace Prize was awarded to a for-profit microloan bank and its founder, an apparent vindication of the ideas of Peter T. Bauer, Henry Hazlitt, Deepak Lal, and others. As Bauer wrote, “Development aid, far from being necessary to rescue poor societies from a vicious circle of poverty, is far more likely to keep them in that state.ŠEmergence from poverty requires effort, firmly established property rights, and productive investment.”

Student Division:
First Prize: $2,500
Second Prize: $1,500
Third prize: $1,000

Junior Faculty Division:
First Prize: $10,000
Second Prize: $5,000
Third Prize: $1,500

For rules, guidelines and other information, see
http://www.independent.org/students/garvey/

Claudio

Continue lendo “Quer ganhar uma grana?”