escolha pública

Repeteco

Alguém sabe como está a situação sobre o que noticiei há alguns dias? Repeteco do post logo abaixo.

Meu xará me mostra esta inacreditável notícia:

Vem de Belo Horizonte a primeira tentativa concreta no país de acabar com uma das grandes pragas da vida moderna: os celulares no cinema. A Câmara Municipal da capital mineira aprovou em primeira instância, por unanimidade, um projeto de lei do vereador Délio Malheiros (PV) que cria o Estatuto do Cinéfilo – que prevê, entre outras medidas, o confisco dos aparelhos na entrada das salas, com devolução ao final das sessões.

(…)

Se o projeto for aprovado definitivamente, os cinemas de Belo Horizonte terão um prazo de 90 dias para se adaptar às novidades. Segundo notícia do portal mineiro Uai, o estatuto foi recebido de forma negativa pelos donos de cinema. O presidente do Sindicato das Empresas Cinematográficas Exibidoras de Belo Horizonte, Contagem e Betim, Pedro Olivotto, reclamou que faltou discussão sobre o projeto e que seu teor é punitivo. Ele diz também não ser viável banir os celulares das salas, por causa do constrangimento que seria revistar os espectadores.

Malheiros rebate afirmando que a revista não seria necessária, se forem instalados equipamentos como detectores de metais ou bloqueadores de sinais. E diz também que a idéia do Estatuto não é punir os exibidores, mas disciplinar a relação dos espectadores com os prestadores de serviços, torná-la mais transparente, adaptá-la aos princípios do Código de Defesa do Consumidor.

Propostas como esta me lembram muito o porquê eu ter gostado deste artigo.

Segue o abstract:

The optimal constitution is one that protects people from politicians” thirst of power and preserves citizens” civic virtues. This paper presents a model that blends David Hume”s (1741) consideration that in politics ldquoevery man ought to be supposed a knave,rdquo with John Stuart Mill”s (1861) conception of self-interested politicians. The optimal constitution is proved to be feasible. However, there are two possible equilibria, the Frey and Brennan-Buchanan equilibrium. It is shown that Bruno Frey”s (1997) crowding-in and crowding-out analysis is a particular case of our model. In the Brennan-Buchanan equilibrium there is a long-run neutrality of enforcement on citizens” performance. In general, a trade-off is expected between the optimal number of laws and enforcement. The comparison between the equilibria shows that the Frey equilibrium is the best option to enhance the civic virtues of citizens, while the Brennan-Buchanan equilibrium is the best way to deter the ambitions of self-interested politicians.

Algumas vezes me dá a sensação de que as pessoas no Brasil caminham em direção a um equilíbrio Brennan-Buchanan com alegria. Virtudes cívicas? Bah!

Claudio

Um comentário em “Repeteco

  1. tem um problema de externalidade+coordenacao que leva a um equilibrio ruim: soh mal educados vao ao cinema, falam pelo celular, conversam, aporrinham e os bem educados ficam refugiados em casa. Uma vez nesse equilibrio, os exibidores nao exercem qq repressao e os mal educados triunfam. (Eles jah ganharam, nao? Ouvi dizer que tem cinema que pede para os espectadores “falarem baixo”!?!!?)
    Como tem direitos de propriedade mal definidos, nao tem transacao coaseana que de conta e nao acho muito absurdo a intervencao publica. Sugiro apenas que ao -inves e confiscar o celular do dono- ele possa entrar no cinema portando-o em seu pavilhao retrofuricular.

Deixe uma resposta para leo Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s