Uncategorized

Este filme eu quero ver

Mine Your Own Business.

Thanks, xará, pelo trailer do filme.
Há certos lobbies que não gostarão disto e vão pressionar…

Claudio
UPDATE: Acabo de receber este relatório de umas 40 páginas sobre tema similar.

Continue lendo “Este filme eu quero ver”

Uncategorized

Fernando Pessoa era liberal….por Gustavo Franco

As idéias liberais e atuais de Pessoa
Para o poeta português, o Estado era ‘o pior dos sistemas imagináveis’

O poeta português Fernando Pessoa era um defensor de idéias econômicas liberais, que podem ser apreciadas (ou lamentadas) por seus admiradores em A Economia em Pessoa, livro organizado e prefaciado por Gustavo Franco, ex-presidente do Banco Central (BC) e diretor-executivo da Rio Bravo, empresa de serviços financeiros que editou a obra. O livro contém 11 artigos originais de Pessoa sobre temas econômicos e comerciais (um deles, uma coletânea de pequenos textos) e uma entrevista fictícia elaborada pelo escritor João Alves das Neves, presidente do Centro de Estudos Fernando Pessoa.

Ari

Continue lendo “Fernando Pessoa era liberal….por Gustavo Franco”

Globalização

A notável economia brasileira anti-google e anti-globalização

Carlos Cardoso nos envia esta que, com algum atraso, divulgo.

Gostaríamos de informar-lhe que a entrega do seu cheque do AdSense, emitido em dezembro, foi interrompida, inesperadamente, devido a restrições impostas pelas leis brasileiras aduaneiras que regulam o envio de cheques por courier.
Fique certo de que estamos trabalhando para resolver este impasse o mais rápido possível e entraremos em contato novamente assim que tivermos mais informações.

Notou, leitor? Os anti-globalização nos chamam de neoliberais mas, na prática, a teoria é outra. Ah, sim, sim, nossas leis realmente favorecem nossa inserção comercial. Depois não se consegue entender porque o Mercosul não decola. Com uma mentalidade destas, não é difícil entender, não?

Alguém tem mais detalhes sobre os desdobramentos disto?

Claudio

Continue lendo “A notável economia brasileira anti-google e anti-globalização”

Uncategorized

As galinhas e sua saúde

Deu na BBC:


Pesquisadores do Instituto Roslin, perto de Edimburgo, disseram que criaram cinco gerações de aves que podem produzir altos níveis das proteínas.

De acordo com o diretor do instituto, Harry Griffin, uma das vantagens desse tipo de produção seria oferecer uma alternativa mais barata aos medicamentos tradicionais.

Ok, podem ser mais baratos, certo? Em termos.

“As galinhas podem produzir em grandes quantidades, de forma barata e, na realidade, o único material necessário para esse sistema de produção é ração para aves”, disse Griffin.

Os cientistas estão trabalhando no projeto há sete anos, mas podem ser necessários outros cinco até que as proteínas possam ser testadas em humanos e dez anos até o desenvolvimento de uma versão comercial do remédio.

Até lá, não é possível saber se as proteínas, desenvolvidas nas claras dos ovos, vão funcionar na prática.

Bem, em Organização Industrial os (quase-)economistas aprendem algo chamado “a data esperada da descoberta” (dados os investimentos em inovação). Supondo que os ovos citados sejam parte do investimento na descoberta do tal remédio temos que, no caso em que haja apenas uma firma investindo nesta inovação (*):

ET(1) = 1/a, a = probabilidade de que a descoberta ocorra em uma determinada data.

Se a = 1/2, ET(1) = 2 (ou seja, ocorre no 2o período. Se você mede anualmente, trata-se do segundo ano).

Com duas firmas, a fórmula fica:

ET(2) = 1/[a(2-a)]

É fácil ver que ET(2) < ET(1).

É sempre bom – do ponto-de-vista do bem-estar social – ter mais de uma firma investindo em inovação? Bem, depende. Não existe uma resposta única, mas sim várias respostas dependendo dos parâmetros do modelo. A dica é: “corrida pela inovação” ou, em inglês, “innovation race”. Procure por estes termos que você descobrirá mais coisas interessantes sobre o tema.

Afinal, este é o modelo mais simples, com tempo discreto e outras simplificações adequadas ao entendimento do aluno de graduação, mas não tão razoáveis na análise de problemas mais complexos.

Até lá, fico com o peito de frango como refeição mesmo.

Claudio
(*) O modelo supõe que cada firma invista $R em um laboratório (inovação) que tem a probabilidade “a” de descobrir a tecnologia que lhe gerará $V de lucros, se a firma for a única descobridora, $V/2 se ambas descobrem e, claro, $0 se nenhuma descobre. Veja Shy, O. “Industrial Organization”, MIT Pres para maiores detalhes.

Continue lendo “As galinhas e sua saúde”

Libertários

Libertarianismo e tudo o mais

Classical arguments for libertarianism do not assume that adults never make mistakes, always know their interests, or even are able always to act on their interests when they know them. Rather, it assumes that adults very typically know their own interests better than government officials, professors, or anyone else–I will come back to this. In addition, the classical libertarian case partly rests on a presumption that being able to make mistakes through having the right to make one’s own choices leads in the long run to more self-reliant, competent, and independent individuals. It has been observed, for example, that prisoners often lose the ability to make choices for themselves after spending many years in prison where life is rigidly regulated.

Gary Becker, em ótimo momento.

Claudio

Continue lendo “Libertarianismo e tudo o mais”

Economia da Religião

The economics of (xintoist) religion

Would you sell me a Xinto marriage ceremony? Thanks a lot.

The all-inclusive package designed for newlyweds now costs about 162,000 New Taiwan dollars (around 590,000 yen), and the price of a five-day combo set jumps to nearly NT$ 300,000 with a banquet in addition to a honeymoon being included.

Lee sees great potential in the business, especially after Japan extended a visa-free policy for Taiwanese tourists.

“More relatives are willing to fly to Japan to attend weddings and travel around,” said Lee, who plans to place more couples in Tokyo and Kyoto in the near future.

In Kibune Shrine in the ancient capital, about 10 friends from both sides gathered for Lin and Chan’s Shinto wedding, which stressed the exquisite art of marriage etiquette rather than the sumptuous repast highlighted in modern-day Chinese celebrations.

“It is an unforgettable experience, which we think will remind us that we should strive to keep our commitments to each other,” Lin said.

Claudio

Continue lendo “The economics of (xintoist) religion”

Uncategorized

Eu sei o que é melhor para você!

Há alguns anos, vi uma reportagem no 60 Minutes sobre uma região da Índia que abrigava quarenta milhões de habitantes. O programa começava mostrando mulheres e crianças carregando em baldes, para próprio consumo, uma água preta e lamacenta. Outras juntavam esterco de vaca, usado como combustível. Havia um projeto de uma represa para abastecer de energia elétrica e água potável a região toda. Uma ONG vetou o projeto junto ao Banco Mundial, com a argumentação de que a represa ameaçava uma espécie qualquer de tigre. A represa gorou e quarenta milhões de pessoas continuaram a beber água podre e cozinhar com esterco de vaca.

A reportagem entrevistava em Nova York, em um elegante apartamento, a porta-voz da ONG que conseguiu sepultar a represa. Não sei se a moça percebeu a ironia, mas o repórter a filma enchendo um copo de límpida água de torneira. O repórter quer saber porque privar milhões de pessoas de água limpa. A moça dizia mais ou menos o seguinte (cito de memória): não queremos que aquelas populações adquiram os hábitos de consumo do Ocidente. É como se dissesse: esses hábitos do Ocidente são privilégios de ocidentais. Vocês aí, continuem catando esterco de vaca.

As ONG’s são o esterco do mundo ou sua água mais límpida?

Claudio

Continue lendo “Eu sei o que é melhor para você!”