Uncategorized

The Rent-Seeking Society (versão racial)

O julgamento de certos tipos de políticas públicas dos EUA está na ordem do dia. Aqui, por enquanto, estou tentando descobrir se mensaleiros e outros expoentes da corrupção dos últimos quatro anos realmente serão punidos.

A questão, aqui, é mais primitiva. Isto diria o Selva Brasilis. E eu subscreveria…digo, subscrevo.

Claudio
p.s. Sim, (e)leitor, quota pode ser um exemplo de rent-seeking. Depois do caso da UnB, não há como negar: incentivos importam. Como disse o antropólogo, num post aí embaixo, é preciso estudar um pouco para entender isto bem. Não é fácil, mas não é impossível…

Continue lendo “The Rent-Seeking Society (versão racial)”

Anúncios
Uncategorized

Capital Humano

Simon Schwartzman em bom momento.

Trechos:

Também mostrei, com dados do ENEM de 2005, como a qualidade da educação média, e consequentemente do acesso ao ensino superior, depende fortemente da educação dos pais e da renda familiar dos candidatos; e que, controlando por renda e educação, o desempenho dos que se classificam como “pretos” é sempre um pouco inferior aos que se classificam como brancos ou pardos, diferença mais acentuada entre os candidatos de pais mais educados e de renda familiar alta. Para entender isto, tratei de ver outras caracteristicas destes grupos de alta educação e renda familiar, e encontrei algumas diferenças que talvez possam ajudar a entender o que está ocorrendo.

Capital humano melhor…é meta de alguém?

Claudio

Continue lendo “Capital Humano”

Uncategorized

Você já tem bolsa-família, que tal cortar alguns outros gastos, governo?

However, many entry barriers in education are artificial. One of the biggest entry barriers is that government aid to education is given to incumbent institutions, rather than to parents and students. It is difficult for an entrepreneur to compete with a school or college that receives a hefty subsidy from the government. Changing the form of government aid from institutional assistance to vouchers would be a major step toward removing entry barriers in the field of education.

Pergunta pertinente: por que não dar dinheiro aos pobres do que aos donos de escola?

Claudio

Continue lendo “Você já tem bolsa-família, que tal cortar alguns outros gastos, governo?”

Uncategorized

Vodka é um problema de saúde pública?

Se é, o que fazer?

a) Aumentar os impostos sobre o setor produtor de vodka
b) Proibir o consumo de vodka
c) Estatizar a produção de vodka

Embora muitos economistas topem, com alguma dor no coração, optar pelo item “a”, dificilmente alguém consideraria o item “c” como uma boa opção. Claro, mas a lógica da economia (viu aí embaixo o antropólogo, leitor?) não vale no mundo socialista, nem no de Putin.

Claudio

Continue lendo “Vodka é um problema de saúde pública?”

Uncategorized

Como os grupos de interesse – que foram generosos com certo candidato – podem travar a agenda de reformas

O atual ocupante da Granja do Torto, LLUULLAA, foi eleito com uma boa dose de ajuda de setores que, agora, sao recompensados.

O problema é: quem pagará a conta? Pode contar com isto, leitor, no peso dos custos do Estado brasileiro recente. Não se trata de “herança maldita”, mas de uma clara “escolha maldita”.

A análise do Jorge está excelente.

Claudio

Continue lendo “Como os grupos de interesse – que foram generosos com certo candidato – podem travar a agenda de reformas”

Uncategorized

Pensar não ofende

Sempre que você não concordar com algo escrito em um blog, lembre-se do direito do blogueiro: blog é pessoal. Quer pautar um blogueiro? Não pode. Crie o seu.

Exemplo: “este blog fala de gaitas, mas não trata da minha marca favorita de gaitas”.

Resposta: “cara, crie seu blog e vá em frente com sua divulgação da sua marca favorita. Pautar este blog, não pode. Blog é pessoal. Ninguém disse que é ‘justo’, ‘neutro’ (se é que é possível) ou ‘politicamente correto'”.

Caso tenha isto em mente, então, agora sim, bem-vindo aos comentários.

Agora, sim, com as regras claras, vamos em frente.

Claudio

Continue lendo “Pensar não ofende”

Uncategorized

Por que entender economia é difícil?

O Selva Brasilis, num esforço de interdisciplinaridade (mesmo) encontrou esta explicação antropológica:

… For hunter-gatherers in small bands, sharing, matching and ranking were probably as fundamental to survival as eating and breeding. But market pricing involves complex choices based on mathematical ratios.

“It’s the difference between addition and subtraction on one hand, multiplication and division on the other,” Fiske says.

Commerce and global trade, of course, require a finely honed version of the market-pricing model. But if humans developed this model relatively late, it might well be less than universal, even today.

In other words, to have an intuitive grasp of economics, you might just need to take a step or two up the evolutionary ladder.

O problema é se o pessoal da “interdisciplinaridade holística e freiriana da libertação” terá a mesma mente aberta que cobram dos economistas para considerar esta hipótese.

Bom, eu não sou antropólogo, mas gostei da conclusão. 🙂

Claudio

Continue lendo “Por que entender economia é difícil?”