Uncategorized

Bento XVI pode ser feminista…e Bin Laden deve ser…

Nunca pensei que fosse dizer isto, mas a combinação de muçulmanos com a França gera estas coisas.

ERA SÓ O QUE FALTAVA!

Agora não falta mais. Na França, os muçulmanos passaram a agredir os ginecologistas que atendem suas mulheres.

O ministro da Saúde francês, Xavier Bertrand, expressou ontem sua indignação depois da agressão contra um ginecologista por parte do marido de uma paciente em setembro passado, fato que foi denunciado pelo Colégio Nacional de Ginecologistas e Obstetras da França (CNGOF) como uma manifestação de “integrismo muçulmano”. A segunda agressão do mesmo tipo aconteceu em 2003, na periferia de Paris. Segundo a CNGOF, dois ginecologistas-obstetras “foram agredidos fisicamente e feridos por maridos de pacientes, que argumentavam que médicos homens não podem examinar suas esposas muçulmanas”.

Suponho que não esteja no Corão, mas o fato é que machos muçulmanos não suportam a idéia de que um médico examine intimamente suas mulheres. No ritmo em que marcha a submissão européia ao Islã, em breve os ginecologistas franceses seguirão as recomendações do sábio aiatolá Khomeiny, que determinava aos médicos iranianos munir-se de um espelho ao examinarem suas pacientes. Para não cometer o sacrilégio de olhar diretamente o sexo feminino.

Eu me pergunto porque os árabes brasileiros não são igualmente brucutus. Outro dia me disseram que a maioria que veio para o Brasil é justamente de católicos (libaneses?). Mas eu não tenho muito conhecimento dos dados desta diáspora. Alguém sabe?

Agora, o engraçado mesmo é pensar no que acontece quando um proctologista examina um tipo como Bin Laden. Certamente ele não reclamaria, pois não é mulher. Agora, será que gosta (muito)? He, he, he.

Claudio

Anúncios

9 comentários em “Bento XVI pode ser feminista…e Bin Laden deve ser…

  1. Dizem que, apesar do exame de próstata ser recomendável anualmente, Bin Laden gosta de fazê-lo semanalmente. “Por precaução”. Seu médico de confiança é o Dr. Botelho Grosso.

  2. uma outra versão (mais completa) dos fatos

    http://noticias.terra.com.br/mundo/interna/0,,OI1204717-EI308,00.html

    uma agressão este ano e outra em 2003

    e uma declaração do reitor da mesquita de paris, contra o incidente

    talvez os árabes brasileiros sejam menos brucutus pq dois incidentes podem não ser estatisticamente relevantes ou suficientemente representativos para caracterizar o tal machismo muçulmano

    olhe de novo a primeira frase

    “Agora não falta mais. Na França, os muçulmanos passaram a agredir os ginecologistas que atendem suas mulheres”

    seguindo essa lógica, quando a polícia londrina matou 1 brasileiro confundido com um terrorista, a notícia deveria ser “brasileiros são confundidos com terroristas na inglaterra”

    o primeiro passo para combater a ignorância ismâmica é assumir que ela não faz parte de todo o islã. Islâmico não é sinônimo de terrorista. Ser radical do lado de cá não ajuda a melhorar o radicalismo do lado de lá.

  3. Sei que grande parte dos árabes do Brasil imigrou, entre outros motivos, porque eram cristãos (maronitas) e sofriam perseguição no Líbano (ou Síria, que se não me engano estavam unificados na época). Esse pelo menos foi o caso da minha família. Três dos nove filhos do meu bisavô libanês são pastores protestantes.

  4. Boas ponderações do Kenji. Mesmo assim, acho que o número de atos violentos contra as mulheres lá é maior do que em qualquer país de cá, em qualquer medida. Não tenho os dados, mas desconfio que estou certo. Não vejo muitas moças andando, por imposição religiosa, de véu, em Ipanema…

    Sei não.

  5. mas a questão é se quem usa o véu, o faz contra a vontade ou se ela tem a fé dela e acha que aquilo tem um significado dignificante.

    há quem ache dignificante

    http://www.terra.com.br/istoe/exclusivo/outubro2001/muculmanos.htm

    achei este guia interessante por ser muito prático. Claro que é a Turquia, que dos países do islã é dos mais ocidentalizados, mas já dá prá ter uma nuance das diferenças dos tipos de islã que há por aí

    http://www.business-with-turkey.com/guia-turismo/mulheres-isla.shtml

  6. Por quê os tipos de imigrantes são diferentes. Os árabes-muçulmanos na França são de origem bérbere, os do Brasil são de origem libanesa e síria. A quantidade de muçulmanos no Brasil não é desprezível(Em SP há mesquistas em Taubaté, Jundiaí, São Bernardo, no bairro do Brás, etc, muitas vezes como cartão postal) mas o país convida à integração. Minha impressão é que a falta de integração entre franceses e árabes é mais culpa da sociedade francesa e do welfare state que eles criaram do que dos árabes em si. Posso estar errado.

    E eu posso criticar o Brasil por tudo, mas o jeito que o país absorve a população imigrante é maravilhoso.

  7. Para analisarmos porque os imigrantes são diferentes temos que analisar o perfil desses imigrantes, a causa imigração. Nenhuma sociedade recebe de braços abertos quem quer impor sua cultura. Mesmo nós. Não me lembro de nenhum caso de imigrantes atacando nossas mulheres por andarem com roupas provocantes. Hoje mesmo vi uma reportagem sobre a celebração religiosa deles. Todos falando potuguês e vi muitas mulheres e crianças com roupas ocidentais misturadas às mulheres de vestes muçulmanas. No dia em que gangues de muçulmanos começarem a espancar e estuprar mulheres brasileiras, nossa sociedade vai reçachá-los. E então seremos acusados de xenofobia.

  8. não estamos aumentando um caso isolado (já estamos falando em gangues de imigrantes estupradores? isso é algum roteiro de “desejo de matar”? rsrsrsrs) e fazendo uma certa tempestade em copo d´água?

  9. “Não estamos aumentando um caso isolado…”? Depende. Há um problema sério em estatísticas policiais porque muitas vítimas, por exemplo, de estupro, não reportam o ocorrido. Motivos óbvios.

    Imagino que uma sociedade na qual a repressão à mulher é maior, isto tenda a acontecer em maior escala. Ou pense no caso dos judeus na época (que não existiu, segundo o presidente do Irã) de Hitler. Como é que o cara reportaria uma agressão física?

    Tempestade em copo d´água? Acho que pode ser a ponta de um iceberg. Sei não.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s