Uncategorized

O hipócrita discurso “tudo pelo social”

Governo Lula faz jorrar dinheiro do Orçamento da União
na CUT e na UNE, entidades “muito independentes”

17h20 — Nesta terça-feira, reunidos em São Paulo, na sede da Central Única dos Trabalhadores (CUT), partidos ditos de esquerda (do PT ao PC do B) e associações de movimentos sociais (da UNE ao MST) firmaram uma espécie de pacto pela reeleição de Lula e contra eventuais manobras “da direita” em favor do impeachment do presidente da República. Em entrevista ao Blog do Josias (UOL), o presidente da CUT, João Felício, disse que, “se algum tresloucado neoliberal avançar nessa direção [do impeachment], nós vamos reagir”. Josias perguntou “até onde vai o apoio da CUT ao governo?”. E Felício respondeu: “Ninguém determina as opções da CUT. As nossas postulações e a nossa agenda são determinadas pela CUT”. Uma consulta ao Siafi, o sistema informatizado das despesas feitas com o Orçamento Geral da União (OGU), feita pela assessoria do PSDB na Câmara, diz bem da independência da CUT em relação ao governo Lula. Da CUT e da UNE, só para ficar em dois exemplos. Do início do governo, em 2003, para 2005, quase triplicou o dinheiro repassado pelo governo Lula a essas entidades “independentes”. Lá vai:

A CUT RECEBEU:
• 2003 – R$ 4.640.201,00
• 2004 – R$ 12.656.840,00
• 2005 – R$ 13.150.363,00
A ESCOLA SINDICAL SÃO PAULO/CUT RECEBEU:
• 2004 – R$ 1.060.000,00
• 2005 – R$ 55.000,00
A UNE RECEBEU:
• 2003 – R$ 600.000,00
• 2004 – R$ 400.000,00
• 2005 – R$ 1.270.649,00

Só queria saber como foram estes dados nos governos anteriores.

Claudio

Continue lendo “O hipócrita discurso “tudo pelo social””

Uncategorized

Por que tanto barulho na minha aula?

Fato muito comentado entre professores é o de que os alunos de hoje seriam menos respeitosos e mais barulhentos do que os de 10 anos atrás.

Pois bem, há duas explicações para isto: i. preferências e ii. restrição.

Conversei com dois amigos meus, Fábio e Marcus. Cada um deles pensa de um jeito e eu, ultimamente, estou dividido entre suas explicações, bem como minhas reflexões puramente levianas e pouco rigorosas sobre o tema.

A explicação “i” diz respeito a algum fator cultural que teria mudado com o tempo (pessoas estariam mais mal educadas por algum problema cultural específico dos últimos 10 anos). Já a explicação “ii” é baseada na idéia de que, hoje em dia, em média, muitos alunos fazem dois cursos universitários, embora o dia continue tendo apenas 24 horas. Logo, o cara dedica menos tempo a cada matéria.

Eu complementaria ainda, dizendo que quanto menos tempo o aluno dedica a uma disciplina, menos ele respeita o professor, pois menos ele é importante para ele. Algo como: “meu pai é respeitado porque é o monopolista lá de casa”. Se eu tivesse quinze pais, respeitaria menos cada um deles.

Não acho que haja uma mudança cultural forte, embora concorde que os psicólogos e pedagogos, por algum motivo, cruzaram os braços há uns anos atrás (e amarraram os braços dos pais…) e saíram por aí dizendo: “no limits, have fun”. Em outras palavras, ensinaram que não havia restrições para os meninos, hoje “monstrinhos” (em média).

Você, leitor(a), que é aluno ou professor, o que pensa sobre i e ii? Preferências mudaram ou foi a restrição que foi deslocada?

Claudio

Continue lendo “Por que tanto barulho na minha aula?”

Uncategorized

Por que preços idênticos?

Tyler Cowen pergunta algo que já tinha me encafifado: por que o Itunes cobra o mesmo preço pelas músicas? As respostas são boas, mas não sei se explicam tudo.
No mesmo sentido, não seria interessante se os músicos pudessem reduzir os seus direitos autorais para buscar uma maior popularidade. Ué, mas isso já aconteceu! Os garotos Artic Monkeys colocaram suas músicas de graça na Internet, fizeram uma baita sucesso e bateram o recorde de velocidade de vendas dos Beatles.

Leo.

Continue lendo “Por que preços idênticos?”

Uncategorized

Privatizar as nuvens?

Vejam no que dá ouvir a bbc: descobri que existe uma associação de apreciadores de nuvens. As fotos são sensacionais.

Mais do que isso, aprendi que a discussão dos direitos de propriedades das nuvens é algo muito sério. A razão é o cloud seeding, a técnica de provocar chuva bombardeando as nuvens com produtos químicos. E se o estado/país vizinho faz com que toda chuva caia antes das nuvens chegarem no espaço sobre as suas terras? Uma discussão legal do caso está aqui.
Fico imaginando que rolo seria uma barganha coaseana.

Leo

Continue lendo “Privatizar as nuvens?”