Uncategorized

Vejamos o quão “ambientalista” é o governo chinês

Toxic Chinese mercury pollution travelling to US – Andrew Yeh

Claudio

Continue lendo “Vejamos o quão “ambientalista” é o governo chinês”

Uncategorized

Que papelão!

O John Lott resolveu agora processar o Steven Levitt. Ficou chateadinho porque este tem dito (com razão) que trabalhos acadêmicos não tem corroborado o estudo “More Guns, Less Crime”. Com um telhadão de vidro desses, eu pensaria duas vezes antes de levar o causo aos tribunais.

(Via Marginal Revolution)

ATUALIZAÇÃO:
O documento de acusação contra o Levitt está aqui. Passei os olhos. O Lott critica dois pontos: a) quando o Levitt diz que os outros trabalhos não conseguiram “replicate” o resultado do Lott. b) um e-mail privado que o Levitt mandou para um sujeito dizendo que o Lott pagou 15.000 dólares para que um número especial do Journal of Law and Economics fosse publicado.
Acho que qualquer juiz daria ganho de causa ao Levitt por (a). Tem que forçar muito o sentido de “replicate” para consideram difamatório o que o Levitt escreveu. Mas (b) é uma acusação mais complicada. Se não for verdade, o Lott pode ganhar uns trocados. Eu só não sabia que um e-mail pessoal pudesse ser usado nesses casos.

Leo.

Continue lendo “Que papelão!”

Uncategorized

Frases para se colocar em papel de bombom

No dia dos namorados (ou alguma outra destas datas), você, economista, não ficaria feliz em dizer à sua namorada que:

* “Embora seja convexo entre loiras e morenas, estou restrito à você”.

* “Minha demanda por sua companhia é fortemente elástica em relação ao tempo em que estamos juntos”.

* “Meu bem-estar é maior quando você está ao meu lado”.

* “Nas trocas de afetos, ambos sempre ganhamos se não há restrições”.

* “Você e eu somos um equilíbrio de Nash, e não falo de dilema dos prisioneiros”.

Claudio e suas piadas sofríveis fazendo a felicidade dos alunos há mais de 10 anos.

Continue lendo “Frases para se colocar em papel de bombom”

Uncategorized

A verdadeira causa da Revolução Industrial Inglesa

Diálogo real ocorrido na zona rural da Inglaterra em meados do século XVIII

Jack: Você notou que estamos em Abril e continua um frio danado?
John: So what?
Jack: Você não está cansado disso de trabalhar na terra gelada? Sei lá.. chove o tempo inteiro aqui, esse vento gelado…Ano após ano. tudo está enchendo meu saco.
John: Tá, mas o que você propõe? Ainda não inventaram as companhias de aviação baratas (na verdade, nao inventaram nem o avião ) para podermos dar uma relaxada no holiday.
Jack: Temos que inventar algo para fazer debaixo de um teto… A fábrica de alfinetes até que é legal, mas está faltando alguma coisa. Sei lá, quem sabe se fizermos umas máquinas, algo a vapor…
John: É, vapor é uma boa. Afinal é quente, isn’t it?

E assim começou a Revolução Industrial…(ao menos, eu acho que foi assim)

Para interpretações modernas do determinismo geográfico, ver esse ou esse texto.

Leo.

Continue lendo “A verdadeira causa da Revolução Industrial Inglesa”