Humor

No matter how bad the recession is, love is inflation!

Em meio à recessão, um grupo de belas adolescentes japonesas canta (traduzido para o inglês):

No matter how bad the recession is, love is inflation
It’s indecent to treat me this well
My future is bright, I hope to find a job

Chorus 1
The world envies
Japan’s future
Let’s fall in love
Dance! Dancin’ all of the night

Não é de se estranhar que tenha sido o mais famoso sucesso de Morning Musume. Recessão e otimismo são uma boa fórmula, principalmente com um monte de meninas bonitas… 🙂

Claudio
p.s. bom link, este.

Continue lendo “No matter how bad the recession is, love is inflation!”

Uncategorized

“A única coisa a fazer é tocar um tango argentino”

O Alex se sente mal por não poder ajudar os leitores tristes. Não se preocupe, Alex. Ao contrário do que os livros (inclusive de Economia), os instintos e a razão nos dizem, somos incapazes de trocar nosso nível de felicidade. Ou seja, a partir de certo ponto de conforto material e segurança, a evidência empírica mostra que acabamos voltando ao nosso nível inato de felicidade. “Tentar ser mais feliz é como tentar ser mais alto”.

Enfim, “A vida, portanto, meu caro, não tem solução“.

Leo.

Continue lendo ““A única coisa a fazer é tocar um tango argentino””

Uncategorized

Um bom jeito de começar o dia…

Trechos da mensagem na minha caixa-postal de hoje:

“The Editors of the Journal of ***** ****** thank you for sending your co-authored paper “***************” for consideration, but regret they do not find it suitable for publication.

The reason for rejection is that the overall quality of this paper is insufficiently high to merit publication in ****.

I am sorry to have to give you this disappointing decision but thank you for your interest in the Journal and for giving us the opportunity of considering your paper. We hope that rejection in this case will not discourage you from submitting to *** in the future should you have a paper that meets the journal’s editorial aims.

Yours sincerely,
******* ”

Em síntese: “seu paper é tão ruim que ficamos com vergonha de mandar para os pareceristas”. Oh vida, oh dor.

Leo

Continue lendo “Um bom jeito de começar o dia…”