Uncategorized

Falso Dilema

Está rolando uma discussão na blogosfera sobre o subsídio ou não ao cinema nacional. Fica parecendo que só existem duas opções: a)acreditar que o cinema gera fortes externalidades positivas e apoiar as leis de incentivo atuais; b) valorizar as escolhas dos consumidores e clamar pelo fim dos incentivos.

Esse é um falso dilema. Eu acredito na primeira parte das duas afirmações acima. Ou seja, eu acredito na externalidades positivas do cinema e valorizo as escolhas dos consumidores.

Qual a minha proposta? Acabar com as escandalosas Leis de Incentivo e criar um vale-cinema para a garotada de escolas públicas. Eles poderão usá-lo nos filmes dos Trapalhões, Walter Salles, ou então vão trocar por Coca-cola ou comida. Eu confio mais nas decisões do público do que nas dos supostos especialistas.

(Defendi isso em um debate no ano passado e – para minha surpresa – até o Olavo de Carvalho concordou com a proposta).

Leo

Continue lendo “Falso Dilema”

Anúncios
microeconomia

Quer combater a prostituição? Libere os bordéis

Eis uma notícia interessante:

O governo britânico apresentou um projeto contra a prostituição que pretende combinar medidas repressivas contra os clientes a mais oportunidades para que as mulheres abandonem a atividade. A proposta inclui a denúncia e perda da carteira de motorista dos clientes. Além disso, introduz medidas de proteção para menores e autoriza bordéis de até três prostitutas, para garantir a segurança das mulheres.

Agora, saiba desta (se é que não sabe): onde, nos EUA, estão os menores índices de HIV? Em Nevada, onde a prostituição é legalizada. Mais informações aqui. Levitt diria que as regulações de Nevada diminuem a assimetria de informação, acho eu.

Claudio

Continue lendo “Quer combater a prostituição? Libere os bordéis”

Academia

Se conselho fosse bom…

Se conselho fosse bom, ninguém dava. Algo como: conselhos de qualidades diferentes possuem preços diferentes.

Este aqui é um conselho que não é gratuito, você tem de acreditar em mim e também em minha competência como professor de métodos quantitativos. E tem de frequentar este blog com alguma regularidade, claro.

Se você acredita nisto, eis um bom conselho: o livro de Stock & Watson é um excelente livro para se estudar Econometria. Não sei se é o melhor, mas é um dos mais didáticos que existem. E você ainda pode, usando o Gretl, fazer o download de alguns dados utilizados no livro para se exercitar.

Claudio

Continue lendo “Se conselho fosse bom…”

Humor

Uau, que poder!

Como eu sempre digo, os jornalistas do “O Globo” são imbatíveis.

Lula: ‘A partir de agora, o FMI é que tem que nos prestar contas’

Próximas possíveis manchetes: ‘Brasil impõe mudança na Carta de Direitos Humanos da ONU’ ou ‘Brasil declara que a América Latina se chamará Brasil Ampliado’ ou ainda ‘Brasil abre comportas de Itaipu unilateralmente e invadirá o Uruguai, o Chile, a Argentina, as Guianas e enviará uma tropa para o Irã’.

Não se preocupe, o ano mal começou…

Claudio
p.s. Mais uma crítica à guerra que não é nossa.

Continue lendo “Uau, que poder!”

Desenvolvimento econômico

JK?

Para quem leu o Estadão de ontem, um pouco do artigo “JK e o Banco Central”, do Marcelo de Paiva Abreu.

A avaliação enviesada do governo JK abre espaço para ilusões quanto à possibilidade de ser retomado o crescimento com um regime de inflação relativamente alta. Tal como dom Sebastião em Portugal, um governante moldado à imagem de JK reconduziria o Brasil ao desenvolvimento, à criatividade arquitetônica e musical, à paz política e social, ao alto-astral. Em vez de nos narcotizarmos com tais ilusões, deveríamos construir sobre os alicerces lançados pelo sucesso da política econômica

Claudio

Continue lendo “JK?”